Giz e carvão


Mario Ulbrich

Na parede do meu quarto,
Desenho que eu mesmo fiz,
Pendurei o teu retrato
Com traços feitos a giz.

Tanto fascínio eu senti.
Obrando com arte e ardor,
“Tu és minha vida”, escrevi
“Sou eu teu único amor”.

Nesta noite, lua formosa,
Estrelas em profusão,
Tu em meus braços ansiosa,
Transtornada de paixão.

Me afoguei em tuas águas,
Em teu corpo adormeci.
Em um abismo de mágoas,
Ao acordar te perdi

Junto ao retrato escrevi,
Rabiscos feitos à carvão,
Que se teu corpo possuí,
Não era meu teu coração.

voltar

Mario Ulbrich

E-mail: mrs.ulbrich@gmail.com

Clique aqui para seguir este escritor


Pageviews desde agosto de 2020: 68918

Site desenvolvido pela Editora Metamorfose