O Descobrimento


Mario Ulbrich

Descobrimento
Mário Ulbrich
O jovem marujo olhava espantado
A índia nua, que da praia lhe sorria.
Em voos pássaros rasgavam os ares,
Ondas quebravam no mar que rugia.
Animais e flores que não conhecia;
Um porto seguro, em orlas bravias.

Jogou-se ao mar, sem temor, o infante
Nadando na turbulência das águas frias
Venceu a distância da praia e as ondas
Desfalecendo ao chegar na morna areia
Na hora na qual na linha do horizonte
O dia com a noite trava mortal peleia.

A índia tomou-o em seus braços
E em seu desnudo peito o abrigou.
Pássaros voltavam para os ninhos,
Peixes de prata nas ondas saltavam.
Uma incontida lágrima navegante
Pelo pálido rosto do rapaz rolou,

Em terras recém descobertas
Num novo mundo de aroma e cor
Junto à índia, de mil encantos,
O jovem descobriu o amor.

voltar

Mario Ulbrich

E-mail: mrs.ulbrich@gmail.com

Clique aqui para seguir este escritor


Pageviews desde agosto de 2020: 2391

Site desenvolvido pela Editora Metamorfose